ESFOLIAÇÃO NA LIMPEZA DE PELE TIPOS E FINALIDADES

A esfoliação da pele é uma etapa fundamental da limpeza de pele, pois irá afinar a camada superficial da epiderme favorecendo a remoção da sujidade mais profunda, melhor emoliência, além de promover a renovação celular e a epitelização, o que favorece a permeação dos princípios ativos.

Há vários tipos de esfoliantes. Para uso no estabelecimento estético, o profissional deve utilizar produtos cosméticos com formulações padronizadas (RIBEIRO, 2006), equipamentos devidamente registrados pela ANVISA.

O tipo de peeling utilizado nesta fase da limpeza de pele será determinado considerando-se a avaliação feita pelo profissional.

Novamente reforço a importância da ficha de anamnese.

Pensando em auxiliar você profissional, apresento um resumo dos principais meios de esfoliação, suas indicações e contraindicações, para que você possa ser assertivo na determinação da melhor técnica.

Para promover a esfoliação temos vários tipos de peeling

 

Composto por com microesferas abrasivas como, sementes ou grânulos sintéticos.

Dentre os diversos tipos de peeling físico, usamos o peeling superficial na limpeza de pele, pois afinam ou removem o estrato córneo e não criam lesão abaixo do estrato granuloso.


Composto por substâncias ácidas que promovem descamação da pele.

Quanto maior a concentração de um ácido e menor o seu pH, mais rápida e profunda é sua permeabilidade. (GUERRA, 2013)

Ácido Glicólico

O peeling por ácido glicólico é pouco irritante e pouco foto sensibilizante, ou seja, é caracterizado por não ter efeito tóxico a nível sistêmico. Entretanto, deve-se sempre observar a quantidade de concentração do ácido a ser usado, visando sempre o nível superficial (ZAMPRONIO, 2011)

O ácido glicólico diminui a espessura da camada córnea promovendo redução da coesão entre os corneócitos e suas camadas (TEDESCO, 2007).
É também um agente clareador, que aumenta a hidratação e elasticidade da pele, devido a estimular a produção de colágeno, elastina e mucopolissacarídeos nas camadas profundas da pele.

 

Ácido Mandélico

A molécula do Ácido mandélico é maior que a do ácido glicólico e por esta razão, penetra lentamente no local de aplicação.

Apresenta semelhança química com o ácido salicílico com sua ação antisséptica somada às atividades dos alfa-hidroxiácidos

Além de diminuir a espessura da camada córnea, trata a acne.

Atua na inibição da síntese de melanina e na melanina já depositada na epiderme.

 

Ácido Salicílico

Eficaz para a diminuição da produção de sebo da pele.

Tem ação antimicrobiana, ação bacteriostática e fungicida

Promover a diminuição do tamanho dos poros;

 

Ácido Azeláico

 É um ácido graxo saturado de elevado peso molecular, utilizado no tratamento da hiperpigmentação.

Age na mitocôndria da célula e tem pouco ou nenhum efeito em outras células da pele ou melanócitos normais.

Indicado para melasma, cloasma, acne e hiperpigmentação.

 

Ácido Pirúvico

 Em baixas concentrações, apresenta um efeito plastificante e hidratante do estrato córneo causados por suas propriedades umectantes.

Ação queratolítico, antimicrobiana, sebo reguladora e estimula a produção de novas fibras de colágeno e elastina.

 

 

Contraindicações dos peelings químicos

Cicatrizes hipertróficas

Formação de queloides

Herpes

Eritema persistente

Escoriações

Histórico de hiperpigmentação pós-inflamatória

Lesões e ferimentos e peles altamente sensíveis ou sensibilizadas por algum procedimento.

Através de aparelhos, como

  1. Microdermoabrasão

Peeling de cristal

Mecanismo de ação: aspiração a vácuo (pressão negativa), através de ponteira que “suga” a pele, mecanismo de compressão que expele os cristais de óxido de alumínio, a pressão programada, reservatório para cristais limpos e receptáculo para material contaminado.

Promove uma abrasão mecânica e suave.

Pode ser aplicada em todos os tipos de pele.

Descamação mínima (praticamente imperceptível), não trazendo riscos à exposição solar.

Na limpeza de pele recomenda-se o uso a nível superficial, atingindo apenas a epiderme.

Contraindicações

Não aplicar em lesões tegumentares acompanhadas de processos inflamatórios na pele

Exposição ao sol 48 horas antes e após cada sessão

Sensibilidade ou alergia ao óxido de alumínio

Grande fragilidade capilar e controle com uso de cosméticos a base de ácidos

 

Peeling com ponteira diamantada

Consiste em uma Microdermoabrasão superficial, onde é usada uma caneta com ponteira de diamante, de várias granulometrias, que desliza sobre a pele promovendo uma esfoliação.

Promove o desenvolvimento da mitose celular fisiológica, que proporcionará uma renovação epitelial mais rápida, provocado pela Microdermoabrasão. (BORGES, 2010)

 

O principal objetivo é refazer e nivelar a superfície da pele, atenuando as cicatrizes de acne, reduzindo rugas finas e retraindo os óstios.

 

  1. Peeling ultrassônico.

Princípio de funcionamento – utilização de uma vibração mecânica de muito pequena amplitude e alta frequência, produzindo micro agitações ultrassônicas através de uma espátula metálica sobre a pele.

Com as vibrações ultrassônicas na espátula de aplicação, ocorre uma descamação da epiderme

Causa um peeling muito superficial, indolor e que não causa danos as camadas da pele.

Trata-se de um peeling menos agressivo para a pele.

Elimina as camadas superficiais da epiderme.

Ativa a microcirculação.

Aumenta a permeabilidade das membranas celulares, permitindo a absorção de ativos

Melhora dos tônus dérmicos.

Favorece e drenagem e a desintoxicação tecidual

 

 Contraindicações:

Peles sensíveis;

Acne inflamatória;

Neoplasias;

Pós-cirurgia plástica imediata;

Processos infecciosos agudos;

Feridas e lesões da pele.

 

Composto por enzimas proteolíticas.

Produzem irritabilidade mínima

Exemplos de Peeling Enzimático – Papaína (enzima do mamão), Bromelina (enzima do abacaxi), Enzima resultante da fermentação de lactobacilos, Enzima da Romã ou Abóbora, arazyme (extraído da teia de aranha Nephila clavata), algowhite (extrato da alga marrom).

Contraindicações

Área com lesão.

Alergia a algum componente da fórmula.

Uso continuo de ácidos

Pós laser imediato

 

O objetivo da limpeza de pele deve estar associado ao tipo procedimento estético que o cliente deseja, seja rejuvenescimento, discromias, acne, flacidez ou procedimentos invasivos.

Um bom planejamento leva a resultados mais eficazes e a satisfação de seu cliente, bem como a indicação a novos clientes.

 

BIBLIOGRAFIA

PIMENTEL, Artgur dos Santos. Peeling, máscara e acne: seus tipos e passo a passo de tratamento estético. São Paulo: LMP, 2008

GOMES, R.K; GABRIEL, M. Cosmetologia descomplicando os princípios ativos. 3 ed. São Paulo: LMP, 2009

GUERRA, F. M. R. M. Aplicabilidade dos peelings químicos em tratamentos faciais – Estudo de revisão, Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research, VIOL.4, N.3, PP.33-36, Set-Nov 2013

RIBEIRO,L.; Cosmetologia aplicada a dermoestética. São Paulo: Pharmabooks, 2006

ALMEIDA, Ada R. T. in Maio M. Tratado de Medicina Estética, volume III, São Paulo, 2011.

BORGES, FABIO dos Santos. Dermato-Funcional Modalidades Terapêuticas nas Disfunções Estéticas, Editora Phorte, São Paulo,2010.

TEDESCO, Ionice Remião. Produtos cosméticos despigmentantes nacionais disponíveis no mercado, Santa Catarina, 2007

ZAMPRONIO, Franciele Pereira Castro. Atuação da fisioterapia dermato-funcional nas disfunções estéticas decorrentes da gravidez. Rio Grande do Sul, 2011.

 

 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!